Video: Dicas de fotografia. Lentes para fotografar casamentos.

As objetivas utilizadas por mim, com apresentação e avaliação de cada uma delas.

 

Advertisements

Qual o melhor horário para as fotos?

Escolher o horário para as fotos externas, seja para casamentos ao ar livre ou para ensaios fotográficos, é uma dúvida muito comum.

Hoje recebi um e-mail de uma noiva preocupada com isso. Ela me pedia uma dica para o horário da cerimônia, pois tinha vontade de fazer algumas fotos, ainda com luz do dia, logo depois do casamento. Eis minha resposta:

Olá!!! O tempo de luz bonita para fotos é muito curto, tipo 50 minutos. No dia do seu casamento, amanhecerá em Fortaleza às 5:31 e o pôr do sol será às 17:34. O ocaso lunar será a 288º oeste às 11:28. (claro que pesquisei na net!)

Antes das 17h a luz ainda está muito dura, com raios de sol e sombras acentuadas; perto das 18h já não tem mais luz…

O ideal seria você escolher o que é mais importante para que seja fotografado entre 17 e 17:50. Esta é a hora mágica das fotos. Antes e depois deste horário também dá para fazer fotos boas, mas não com a mesma suavidade e profundidade de cores.

Sinto que seja muito corrido fazer toda a cerimônia e fotos de grupos com a luz do dia. Você iria sacrificar o mais importante, o casamento, com a luz ainda muito “dura” e ainda iria notar nas fotos dos padrinhos uma inconstância na iluminação do fundo das imagens, haja vista que a luz muda rapidamente nesse horário.

Se minha filha fosse casar, eu daria o seguintes conselhos:

1 – Coloque o convite para 16h. Os atrasos em casamentos à tarde são maiores que à noite. Sei que não precisa lembrar, mas disponibilize água aos convidados.
2 – Programe-se para entrar às 17h pontualmente. Antes disso a luz ainda não está perfeita e depois disso você pode sair no escuro.
3 – Converse com o celebrante para que a cerimônia seja rápida, sem muitos discursos e/ou participações especiais.
4 – O melhor horário para o beijo é 17:45 e a saída até 10 minutos depois.

Ufa!!! Desculpe se escrevi demais.

Conte sempre comigo!!!!!

Muitos outros fatores, além da melhor luz para a fotografia, são determinantes para a escolha do horário da cerimônia. Pense em todos eles.

Fabio Meireles 28fev15 Casamento Fernando de Noronha Roberta e Alessando net 27

Fabio Meireles 28fev15 Casamento Fernando de Noronha Roberta e Alessando net 39

Fabio Meireles ensaio Emilia e Marcelo net

Imagem da semana 05

Já comentei várias vezes aqui no blog que evito rótulos, receitas ou fórmulas. Prefiro a busca da verdade, da simplicidade, com suas variações e exigências adaptativas. O termo “making of” é um bom exemplo, pois deveria ser sinônimo do registro de tudo aquilo que acontece nos bastidores, inclusive da preparação da noiva. Entretanto, o termo tornou-se tão popular que hoje em dia a quase totalidade dos colegas fotógrafos referem-se apenas à maquiagem da noiva no salão.

Gostaria de, sucintamente, colocar uns pontos que considero cruciais para as meninas que querem o registro da maquiagem no dia de seus casamentos.

Fortaleza não é mais aquela cidade de antigamente que se ia de um ponto a outro em quinze minutos. Hoje em dia leva-se até duas horas para percorrer poucos quilômetros. Então, escolha um lugar perto do local da cerimônia. Todos nós, inclusive as equipes de fotografia, estamos sujeitos aos efeitos do trânsito, com acidentes e congestionamentos.

Ainda com relação ao local, adoro quando a noiva escolhe um lugar diferente, pessoal, como uma casa ou um hotel, pois suas fotos serão únicas. Gosto muito de explorar a arquitetura, os detalhes e as luzes do lugar. Entretanto, se você prefere a garantia de um salão de beleza especializado em noivas, lembre-se de avisar o horário de chegada do fotógrafo, para que o salão se prepare e o deixe entrar na hora combinada.

Nesta foto, feita pelo meu sobrinho Marcelo Meireles, tentamos evidenciar o momento da maquiagem, mais preocupados com a sutileza do olhar do que com o mero registro da “pintura” do rosto. A imagem foi capturada com uma Canon 5DmkIII + Canon EF 50mm f/1.2 L USM, ISO 3.200, velocidade 1/320 e abertura f/2.2. Captura em RAW Adobe RGB e pequenos ajustes no Lightroom 4.1. Nada de manipulação ou Photoshop.

Imagem da semana 04

A primeira dança dos noivos é, no mundo inteiro, um dos acontecimentos mais aguardados do casamento. Independentemente da música escolhida, o importante para a fotografia é que seja íntima, verdadeira e marcante. Um momento mágico que precisa ser valorizado.

Minha preferência é sempre pela suavidade e simplicidade. Acho tocante quando o casal sente a música, quando se emociona no primeiro momento verdadeiramente íntimo depois da cerimônia.

É muito importante o planejamento da luz, para que haja sintonia entre o som e o imagem.

Esta foto foi feita de forma bem simples. Bastou esperar uma boa condição das luzes decorativas e a quantidade ideal de papéis. Me posicionei de forma a enquadrar corretamente os convidados ao fundo e contei com a colaboração dos noivos, que se concentraram na dança.

Fotografei com a Canon 5D Mark II + 85mm f/1.2L II. Optei pelo ISO 3.200 para não usar flash e para garantir uma boa relação abertura/velocidade. Optei pelo diafragma em f/2.0 por dois motivos: é uma das aberturas mais nítidas da objetiva e para diminuir ao máximo a profundidade de campo, sem perder o assunto. Para congelar os papéis usei 1/320 de velocidade (por isso a importância o ISO alto). Capturei em RAW Adobe RGB.

Aos fotógrafos iniciantes: fotografem no modo Manual, pois a peça mais importante da sua câmera é a que fica atrás dela: você.

Imagem da semana 03

Fábio! amei as fotos! de uma sensibilidade e visão indescritíveis! Pode se preparar que vão vir muito mais clientes por aí… todos amaram! Muito obrigada!!! Bjs em vc e na Angélica

Lívia Oliveira

A fotografia se mostra fascinante quando a gente consegue transformar a imaginação em imagem. Para isso é essencial que o fotógrafo tenha duas qualidades: a liberdade estética e a técnica fotográfica.

A liberdade estética é muito importante porque um bom fotógrafo não deve ficar preso a padrões. É essencial interpretar a luz, brincar com ela. Em todas as condições de iluminação é possível fazer uma boa foto, desde que você consiga ler o ambiente e descobrir qual foto deve ser feita. Acredito que a boa foto surge da luz, e não o contrário. Não devemos pensar na foto e depois ir atrás da luz necessária, mas ter sensibilidade para interpretar a iluminação disponível e descobrir uma boa utilização da mesma.

A técnica fotográfica também é essencial porque não basta ter imaginação e não saber executar a fotografia. O estudo deve ser cotidiano.

Esta imagem foi feita num dia absolutamente adverso. Muito calor, muita luz, muitas placas de sinalização…. quando a luz começou a melhorar tivemos que sair, pois local fecha às 17h. Mesmo assim, antes de ir embora vi que na sala, que já estava fechada, a luz interna era bem forte, por ser cercada de janelas de vidro. O casal ficou a uns dois metros da janela, de forma que a fotometria fosse a mesma do interior da sala. Minha intenção foi fazer uma fusão do reflexo do casal no vidro da janela com o ambiente interno da sala. Adorei a textura do tonel e dos demais elementos internos.

Utilizei uma Canon 5DMkII + Canon 85mm f/1.8 com a seguinte configuração: ISO 100, devido à grande intensidade de luz; 1/100 por ser uma velocidade segura em 85mm; abertura de f/2.2 porque queria desfocar o segundo plano mas não queria um DOF muito curto, ao ponto de perder o foco numa imagem tão confusa para o sensor. Capturei em RAW adobe RGB.

Fotógrafos iniciantes, fotografem no modo Manual, pois a peça mais importante da sua câmera é a que fica atrás dela: você.

Esses dias coloco mais umas fotinhas do ensaio. Obrigado Lívia e Leandro pela tarde alegre e divertida.

Por que as fotografias nos encantam?

Por que as fotografias são tão marcantes? Por que elas nos encantam? Por que ainda me emociono com elas?

Lendo um artigo do fotógrafo paulistano Fábio Laub, encontrei uma bela explicação: “fotografias não servem apenas para recordar, mas para reviver”.

Algumas imagens, mesmo esteticamente imperfeitas, nos fazem parar o olhar por algum tempo, como se houvesse algo a ser visto além do que foi retratado, como se o momento pudesse ser vivido novamente.

A fotografia é mais que um complemento da nossa memória, é talvez o mais belo e profundo registro do tempo, com todos os seus significados. Isso nos dá uma responsabilidade imensa, pois quem fotografa não registra apenas a luz, mas a vida das pessoas.

Hoje em dia as pessoas fotografam mais que nunca, graças às facilidades da fotografia digital. Isso tem favorecido o trabalho dos bons fotógrafos, que buscam uma linguagem própria, que procuram demonstrar sentimentos.

Photographier… c’est mettre sur la même ligne de mire… La tête, l’oeil et le coeur. – Henri Cartier-Bresson